Cai não cai

Padrão

Faltam três dias para o Natal.

Passei a tarde com três meninos.

Dois filhos e um afilhado me puseram em contato com várias nuances do meu temperamento, da que derrete ao ouvi-los enumerar “palavras de amor” num jogo que inventamos, à que tem vontade de implodir cada um deles quando fazem voar pelos ares da sala já suficientemente badernada os componentes do “Cai não cai”.

Quem teve infância sabe de que se trata: um brinquedo encantado, bolinhas de gude, varetas pintadas, um tubo com passagens secretas, um mecanismo que parece mágico. Hoje, repaginado: o que para mim é Disney demais, para eles é super legal. Um brinquedo que oferece tantos riscos – de perfuração, asfixia, sumiço das peças sob o sofá, entre outros – e, consequentemente, faz a mamãe ficar junto brincando o tempo todo, está no topo da escala de atraência.

Para ter calma, conte até três.

Mas vou precisar de mais três chances…

Enquanto eu tirava do alcance alguma coisa mais proibida, eles tiravam da caixa a nave de Buzz Lightyear e todos os seus cacarecos. As varinhas e as mini bolas pulando pelo chão, alegres, coloridas, como adestradas pulgas gigantes. E as duas, mamãe e madrinha, berrando a plenos pulmões.

Deixa, não deixa? Pode, não pode? Dá, não dá? Quer, não quer? Vai, não vai? Fica, não fica? Fala, não fala? Cai, não cai? Caiu. Tentou saltar pirueteando da corda bamba a tarde toda, até que tropeçou no chão encerado e em seguida escorregou numa das pedras do caminho.

Sorte que os tigres tristes são apenas três.

Na hora da chuva, o menino do sobrado, desacostumado ao sexto andar, apareceu dizendo “vi uma coisa branca no céu!”. Um disco voador? Seu rostinho desbotou ainda mais. O foguete do Buzz? Um sorrisinho coloriu o rosto pálido. Era só um raio. Para quem já havia ouvido tantos trovões…

Sorte que os três reis magos enxergaram a estrela guia.

Mas… A bem da verdade… nós também a enxergamos algumas vezes, ao longo da tarde.

Anúncios

Uma resposta »

  1. Aline, eu passei os dois últimos dias com duas menininhas de oito anos… e o dia anterior com outras menininhas junto da minha no meu trabalho. “Não mexe aí, não grita lá, não corre ali; onde está uma? cadê a outra, que foi feito daquela?” Rssssss…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s